Buscar
  • nstech

People Analytics: o que é e como aplicar na sua empresa

Por Thiago Cardoso, diretor de Pessoas e Sustentabilidade da nstech, e Giovanni Santoro, head de People Experience da nstech


A imagem mostra um rosto de mulher sendo escaneado, com alguns gráficos genéricos projetados como holograma ao lado dela.

Combinar práticas estatísticas, tecnologia e experiência de profissionais da área de Recursos Humanos com um conjunto de informações estratégicas sobre o negócio não é uma tarefa tão simples quanto desejável. Ainda que seja um desafio, a boa notícia é que existem recursos para isso, como o People Analytics, uma metodologia que ajuda a identificar tendências e analisar padrões com base em dados.


É dessa forma que muitas empresas estão melhorando a gestão estratégica de pessoas e obtendo mais agilidade, objetividade e assertividade na tomada de decisões. Isso porque investir na união perfeita de tecnologia e humanização é uma excelente forma de gerar bons resultados.


Seguindo novas tendências corporativas, é essencial saber qual tipo de profissional a empresa tem e que tipo deseja recrutar e reter. Afinal, o impacto das contratações é gigante para os negócios. Felizmente, com People Analytics essa tarefa fica mais fácil e ajuda a direcionar estratégias para gerir de forma mais eficiente os talentos e a competividade, seja qual for o setor.


A ferramenta possibilita a criação de dashboards, indicadores e fluxos de trabalho organizados, identificando oportunidades de melhoria e, inclusive, ajustando o clima organizacional. Esta é a grande aposta do People Analytics.


Com informações de diversas fontes, coleta, organização e análise de todos os dados, as empresas conseguem fazer um diagnóstico que não só otimiza o gerenciamento de recursos humanos, mas ajuda os executivos a tomarem decisões mais acertadas, além de acompanhar de forma mais imediata o engajamento dos times, a produtividade e a satisfação das pessoas.


Em resumo, a metodologia ajuda a enxergar com mais clareza os cenários. As empresas que adotam esta metodologia também conseguem proporcionar um planejamento de carreira mais estruturado para o time e definir faixas salariais mais adequadas.



Benefícios do People Analytics para a gestão de pessoas


O uso do People Analytics no setor de RH foi desenvolvido pelo Google entre 2006 e 2010 com o objetivo inicial de aumentar o desempenho das equipes. Mais tarde, a metodologia foi usada para melhorar o engajamento e reter profissionais.


Segundo a consultoria Mckinsey, empresas que utilizam o People Analytics melhoram consideravelmente seus resultados.


  • Aumento de 80% na eficiência de processos de recrutamento;

  • Incremento de 25% da produtividade;

  • Redução de 50% nos desligamentos.


Passo a passo para aplicar o People Analytics


Ao contrário do que muita gente pensa, o People Analytics não é simplesmente um software que a empresa instala e começa a usar. É uma metodologia que precisa ser implantada a partir de uma série de passos em respeito às particularidades de cada organização.


A estratégia precisa seguir, basicamente, 7 etapas:


  1. Identificação dos problemas do negócio: o primeiro passo é listar os problemas do negócio relacionados à gestão de pessoas (e não problemas específicos da área de RH). Como melhorar o desempenho financeiro ou como impulsionar as vendas são alguns exemplos.

  2. Definição dos objetivos: depois de identificar e classificar os problemas em ordem de importância - dos mais urgentes e graves para os menos importantes, levando em conta os impactos que geram no negócio – é hora definir o que se deseja com a implementação do People Analytics.

  3. Mapeamento dos dados: é importante avaliar quais dados estão disponíveis e planejar como fazer a coleta e o monitoramento. A pergunta de milhões é: “Quais dados serão realmente úteis para o desenvolvimento dessa metodologia?”

  4. Coleta dos dados: a empresa deve dispor de uma solução tecnológica que permita a coleta, o armazenamento de dados e a criação de indicadores. Caso contrário, será um desperdício de tempo e de energia. Recorra a ferramentas de pesquisa com os funcionários ou com os clientes, questionários de comunicação interna, relatórios, histórico de desempenho etc.

  5. Análise dos dados: este é o passo mais delicado, mas que revela o potencial do People Analytics. Com uso de conhecimentos estatísticos e técnicas de mineração de dados é possível responder a uma série de perguntas relevantes e que têm relação com o objetivo inicial. Dependendo da complexidade dos dados e do tamanho da empresa, essa etapa requer tecnologias de automação e definição de metas.

  6. Modelagem: nesta etapa ocorre o cruzamento de todos os dados, variáveis, números e pesquisas. Com essas informações em mãos é possível estruturar melhor as equipes conforme os objetivos estratégicos, distribuir os benefícios e até planejar campanhas de conscientização e engajamento na empresa.

  7. Elaboração do plano de ação: concluída a análise dos dados coletados é hora de montar e executar um plano de ação para enfrentar os problemas elencados.


Em resumo, o People Analytics tem quatro níveis de classificação:


  1. Descritiva: quando você apenas descreve e estuda um evento que já ocorreu;

  2. Diagnóstica: quando é possível apurar as causas de um problema para adotar medidas corretivas;

  3. Preditiva: quando é possível prever eventos futuros;

  4. Prescritiva: quando se trabalha uma perspectiva de problemas e soluções futuros e os impactos gerados na produtividade da empresa. Algo como: “O que pode acontecer se seguirmos este caminho?”


11 benefícios do People Analytics para a gestão de pessoas


Uma metodologia capaz de fazer o link perfeito entre os talentos recrutados e o resultado dos negócios traz uma série de vantagens. Entre os benefícios de adotar o People Analytics estão:


  1. Redução no tempo de contratação;

  2. Maior índice de sucesso nas contratações e retenção de talentos;

  3. Identificação dos fatores de influência no desempenho e nos resultados da empresa;

  4. Diversidade e alta performance das equipes;

  5. Decisões estratégicas mais seguras;

  6. Redução de custos com a diminuição do turnover;

  7. Maior dimensão da produtividade;

  8. Ganho de eficiência e assertividade;

  9. Melhor organização e controle dos processos;

  10. Treinamentos mais eficazes;

  11. Melhora na experiência do colaborador e no clima organizacional.


People Analytics na nstech


Maior ecossistema conectado de tecnologia para logística e mobilidade – responsável por integrar todos os elos da cadeia e entregar soluções de ponta –, a nstech entende como ninguém a importância de metodologias modernas no processo de evolução das empresas.


Os pilares da nstech são justamente inovação, tecnologia, pessoas e resultados, assim como propõe o People Analytics. Afinal, nada mais efetivo do que a fusão da tecnologia, da ciência de dados e da sensibilidade das pessoas para garantir os melhores resultados, não é mesmo?


E você, como tem aprimorado o negócio com base na seleção assertiva dos talentos?

36 visualizações0 comentário